Novidades

Vereador líder do governo Orlando de Amadeu faz críticas ao ex-prefeito de Simões Filho: ‘Aqui ele não engana mais ninguém’

“Está sendo uma grande luta. Pegamos um município com vários problemas deixados pelo ex-prefeito Eduardo Alencar, que abandonou o município e deixou uma dívida de R$ 300 milhões”, disse.

Segundo o parlamentar, o que se viu quando a gestão atual assumiu o comando do município foram escolas municipais reformadas “de fachada”, postos de saúde sem estrutura e descaso no patrimônio público.

Orlando afirmou também que o atual prefeito Dinha pegou uma cidade com várias dificuldades. “Foram feitos mutirões de limpeza e pequenos reparos nas escolas municiais e colocamos os postos médicos para funcionar”, lembrou.

Sobre a falta de merenda na rede municipal de ensino, o motivo foi que o ex-prefeito não deixou um contrato firmado para a distribuição da merenda, gerando a falta de continuidade. “Vamos aguardar uma nova licitação no dia 10 para que isso normalize e os alunos tenham a sua merenda em dia”, explicou o vereador, que também anunciou a construção de três novas creches.

DIVIDA DE R$ 300 MILHÕES

O município de Simões Filho tem uma dívida de R$ 300 milhões deixada na administração anterior. Sobre os valores, Orlando não poupou críticas ao ex-prefeito Eduardo Alencar.

“Foi feito um levantamento junto com o corpo jurídico e descobrimos que a dívida da cidade chegou a R$ 320 milhões em oito anos. Imagine se esse grupo político continuasse na cidade?”, criticou.

Segundo o vereador, foi descoberto que o município devia R$ 20 milhões no ano de 2016, valor este referente ao que deixou de ser pago à empresa prestadora de serviço para a cidade.

“O que não da pra acreditar é  que ele [Eduardo Alencar, ex-prefeito] sempre falava que  o município não devia nada a ninguém, mas deixou vários fornecedores sem pagar. Aí eu pergunto: ele fez o que com o dinheiro? O município não deixou de arrecadar”, indagou o vereador, que defendeu a atual gestão. “Dinha vem pagando essa dívida. A mentira veio à tona e aqui ele não engana mais ninguém. O povo quer saber o que foi feito com os R$ 150 milhões arrecadados entre junho a dezembro de 2016”.

ATERRO SANITÁRIO EM PALMARES

Sobre a implantação do Aterro Sanitário na comunidade de Palmares, Orlando disse que foi dado o alvará de liberação ou licenciamento ambiental durante o governo passado pelo ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Paulo da Tupy. Segundo o vereador, o secretário deu uma carta de anuência dando poder para a empresa construir esse aterro sanitário na cidade. Isso, de acordo com o parlamentar, não podia ser feito, pois ele não era secretário de Meio Ambiente.

O lugar que pode ser implantado para descarregar materiais é uma localidade afastada de Palmares, próximo à Passagem dos Teixeira. Essa licença foi dada pelo governo do Estado, o que tirou o poder do do município.

“Caso o Inema , órgão do governo estadual venha liberar o licenciamento, o município ficará de braços cruzados. O que vamos fazer  é reunir  com o prefeito Dinha,  junto com a comunidade e ver qual o risco que pode trazer para a população. Quero deixar claro que vamos lutar junto ao povo para ver o que será melhor para a cidade com esse aterro sanitário”, explicou.

*ClickBahia

Nenhum comentário