Novidades

Rescisão de ex-servidores dá o tom de entrevista do prefeito Dinha no ‘Panorama de Notícias’

O prefeito de Simões Filho, Diógenes Tolentino (PMDB), em entrevista concedida ao programa “Panorama de Notícias”, na Rádio Simões Filho FM 87.9, no início da tarde desta terça-feira (27), entre as diversas indagações feitas pelos âncoras Ataide Barbosa, Alex Passos e a participação do repórter Manoel Romário, deu o tom de que “seguirá com a postura transparente e de respeito”, ao reafirmar o compromisso de pagar as rescisões dos ex-servidores da Prefeitura Municipal.

“Desde o inicio [Governo] ventilou a iniciativa e vontade de pagar as rescisões”, arrematou o questionamento o Chefe do Executivo Municipal, que logo após considerou de que “nunca teria visto outras administrações se pronunciarem sobre rescisões.”
O prefeito esclareceu que primeiramente será liberado um lote de rescisões para ex-servidores que recebiam até R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais), obedecendo o critério da data de demissão. Quem foi exonerado no mês de setembro de 2016; serão os primeiros. Ele ainda acrescenta que para os ex-servidores que tinham um salário maior, “de forma natural irão receber de acordo com a disponibilidade de recursos.” “Queremos pagar”, disse.
Ainda de acordo com o Gestor Público, devido alguns compromissos, como a realização do pagamento da folha de dez/2016, quitada antes da primeira quinzena de governo, entre outras demandas; tardaram os pagamentos das parcelas rescisórias.
Dinha parabenizou a equipe econômica do seu Governo que conseguiu destravar situações que estavam inadimplentes, como a situação da verba de repatriação enviada pelo Governo Federal que estava bloqueada. Ele ainda revelou que a gestão anterior teria deixado uma despesa de R$ 27 milhões, além de recursos dos fundos sociais que não teriam sido usados pela antiga administração e que foram destravados para poder honrar os compromissos.
O alcaide disse ainda que foi aconselhado pela equipe econômica de pagar 25% e em 4 meses liquidar o salário do mês de dez/2016, mas repensou a situação dos servidores e seguindo sua consciência autorizou que o salário fosse pago integralmente.
No final da entrevista, Dinha pediu desculpa a população e reconheceu que ainda existem alguns setores que precisam avançar como a questão dos medicamentos nos postos de saúde e melhoria na iluminação pública, pendentes por tardia na licitação e acrescentou que “existe muita boa vontade de fazer o melhor como assim foi planejado”.
O prefeito citou dois elementos balizadores que norteiam o desenvolvimento do município (PPA e LDO) e pediu uma maior participação popular.

*Rede Imprensa

Nenhum comentário