Novidades

Satélite: metrô de Salvador opera com capacidade ociosa de 275 mil passageiros

Enquanto a integração segue emperrada, o metrô de Salvador opera com capacidade ociosa de  275 mil passageiros. Atualmente, o sistema transporta diariamente, em média, 125 mil  pessoas, mas tem capacidade para 400 mil. O número aumentou neste mês em relação a maio, quando em média 115 mil pessoas foram transportadas diariamente após o início das quatro novas estações da avenida Paralela. A expectativa do governo do estado é que, com a  integração total com o sistema de ônibus, o número de usuário chegue próximo ou atinja  capacidade máxima. As negociações, no entanto, seguem com impasse entre governo e prefeitura em torno do valor da tarifa. 

ImpasseA promotora Rita Tourinho, que participa das negociações, considera fundamental a realização de uma auditoria independente para apontar o valor adequado da tarifa. A prefeitura já realizou duas, mas o governo não concorda com os valores apontados. O município, então, sugeriu a realização de uma independente, mas o governo ainda não se pronunciou. A Satélite procurou o secretário da Casa Civil da Bahia, Bruno Dauster, que participa das negociações, mas ele não respondeu aos questionamentos sobre quais seriam as propostas do estado.

Contra-ataque
Após o governador Rui Costa (PT) anunciar que licitaria linhas de ônibus alimentadoras do metrô de Salvador, aliados do prefeito ACM Neto (DEM) resolveram atacar os coletivos metropolitanos. “Esses são os ônibus administrados pelo governo, sem ar condicionado e sem acessibilidade. Verdadeiras sucatas”, disse o vereador Kiki Bispo (PTB), um dos principais críticos.

Aspas
"O atual governo federal não tem condições alguma de fazer nenhuma reforma", Otto Alencar, senador do PSD, ao comentar a reforma trabalhista proposta pelo governo federal e que tramita no Congresso.

Na crista da onda
Chamada de primeira dama da Assembleia Legislativa, Eleusa Coronel, esposa do presidente da Casa, Ângelo Coronel, tem despertado a atenção com sua atuação. Além de coordenar o projeto Assembleia de Carinho, Eleusa participa de diversas atividades do Legislativo e, inclusive, tem auxiliado o marido com reivindicações de servidores e de lideranças que chegam à Casa vindas do interior do estado.

Súplica no interior
A possibilidade de fechamento de comarcas no interior do estado tem provocado tanta dor de cabeça que prefeitos de municípios baianos avisaram que estão dispostos a gastar um pouco mais para manter os fóruns. Pelo menos 12 prefeitos que participaram de uma sessão na Assembleia para discutir o tema se predispuseram a aumentar a ajuda nos custos, segundo o deputado estadual Luciano Simões Filho. Hoje, as prefeituras já desembolsam recursos para manter funcionários ou com estadia de juízes. A Satélite mostrou, com exclusividade, que o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ) fechou uma lista com 49 comarcas que deverão ser desativadas. Oficialmente, o TJ nega que tenha definido o número final e diz que estão sendo feitos encontros diários para discutir medidas voltadas a enxugar gastos do Judiciário, processo iniciado em 2016. No início de 2017, a previsão era que 70 unidades fossem fechadas.

Pílulas
Racismo em pauta
 A polêmica em torno dos alunos do Colégio Anchieta que se fantasiaram de integrantes da Ku Klux Klan - organização racista dos Estados Unidos - reacenderam o debate sobre o Estatudo Municipal da Igualdade Racial. Ele começou a ser elaborado pela ex-vereadora Olívia Santana (PCdoB), em 2009, mas não chegou a ser votado. Agora a Comissão da Reparação da Câmara Municipal resgatou o documento e fará mudanças para que seja votado no colegiado e levado ao plenário. 

Cantando livre 
A falta de punição para o vereador Igor Kannário (PHS) após polêmica com a Polícia Militar não agradou aos colegas na Câmara Municipal. Ele recebeu apenas  advertência do partido. Agora, eles defendem uma penalidade da Casa, para evitar novas episódios. "Se não punir, ele vai fazer de novo", disse um deles.


*Correio da Bahia

Nenhum comentário