Novidades

EXCLUSIVO! Argel fala sobre vexame do caso Galícia: “Foi o Gerson Boca”

Em entrevista dada à equipe “Fenômenos da Bola” Radar Esportes Transamérica FM 100,1, o atual técnico do Goiás, Argel Fucks, falou sobre a passagem pelo Vitória e de um episódio em específico: o caso Galícia, que a imprensa teria dado no intervalo do jogo que Argel estava demitido, o que não aconteceu.

Ao ser questionado, Argel retrucou a versão dada pelo ex-diretor Sinval Vieira: “A grande verdade é que nós fizemos 30 jogos, e perdemos três partidas (Botafogo da Paraíba, para o Bahia e contra o Paraná). Depois que saímos, o mesmo grupo e com dois treinadores, fez 18 jogos e ganhou apenas três. Metade do grupo foi indicação minha”.

“Nós não fizemos um jogo bom (contra o Galícia). Era um time novo, com apenas três jogadores de 2017: Kieza, Fernando Miguel e Willian Farias. O pessoal queria exibição. Quando a gente teve aquele problema do jogo contra o Galícia. Não teve problema nenhum com o Sinval e com os jogadores.

"O que me surpreendeu é que o Sinval estava no vestiário e a imprensa dava a minha demissão. Em nenhum momento Sinval ou Ivã falou comigo sobre isso. O que me estranhou é que nós tínhamos uma reunião no fim do jogo”.

Questionado sobre quem teria ventilado a demissão ainda no intervalo do jogo, Argel não poupou o responsável: “Foi o Gerson Boca (assessor direto de Sinval Vieira e principal estopim). Ele havia soltado a informação e Sinval não me falou nada”.

“Eu chamei o Gerson Boca na minha sala e falei: você foi moleque. Você não devia ter feito isso, ficou feio pra você. Ele disse que não falou, e eu falei que vi a notícia em um site dando a fonte, e falei que sentia pena dele. Futebol é coisa para homem. Traiu a minha confiança”.

Sobre a crise do clube, Argel tem seu diagnóstico: “O problema do Vitória é político. É vaidade. O trabalho deixado em 2016 por todos foi redondinho. Em 2017 era muito cacique para pouco índio. Era muita vaidade e eu protegia o elenco, não deixava contaminar”.

“O que faltou foi a política do Vitória ser mais profissional e deixar a vaidade de todos de lado”. “Nós sabíamos quem mandava no time. Em 2017, surgiu um monte de gente para mandar", citou. E ainda falou alguns nomes que torceram contra ele: "Armando Libório, Érica (Saraiva), foram muitos dizendo que o problema era o Argel”. E o ex-treinador afrimou que muita gente precisa deixar o clube: “ainda tem gente pra sair, essas pessoas tem que sentir vergonha e pedir para sair”.

Ainda sobre Sinval não ter demitido ele no intervalo do jogo, em que disse ter se arrependido de não ter feito, Argel foi incisivo:“Será que faltou coragem?”, indaga Argel sobre Sinval: “Me demitisse. Somos homens”, vaticinou.

Sobre o novo treinador, Argel desejou sucesso: “Gestão de pessoas, de jogadores, isso a gente sabe fazer. Eu torço pelo Mancini, porque ele é competente. Ele conhece o clube. O Giglio (novo diretor de futebol) é competente”.


*Radar da Bahia

Nenhum comentário