Novidades

Rui estuda mudar 13 postos no secretariado, afirmam fontes ligadas ao PT

Conhecido por “agilizar” o expediente, e por um ritmo de trabalho que fez muitos secretários “chiarem”, o governador Rui Costa pode chegar a mudar 13 postos no secretariado estadual, um ano antes das eleições que podem definir se continua ou não no cargo máximo na Bahia.

O que tem dificultado a tarefa é que a mudança tem como propósito costurar alianças que permitam que o caminho de Rui seja mais tranquilo para a reeleição: não é nada fácil porque o governador desagradou muita gente com o estilo mais gestor e menos político, o que, considerando a realidade do país, é o que se espera no futuro na doentia classe do qual Costa tenta evitar “contaminar”.

Várias reuniões têm sido realizadas nos dois quartéis-generais dessa manobra: o Palácio de Ondina, residência oficial do governador, e a governadoria, onde Rui despacha todas as decisões oficiais. E a turma que tá nessa rotina tem reclamado da “longevidade” desses encontros.

A maior parte das saídas se deve à justamente a maioria dos atuais secretários terem algum interesse no cenário eleitoral em 2018. Anote a lista: Jaques Wagner (PT), que quer ser senador; João Leão (PP), interessado em também ser senador ou, caso não seja possível, deputado federal; Josias Gomes (PT), também interessado em renovar o mandato de deputado federal; Fernando Torres (PSD), que quer trocar Brasília pela Assembleia Legislativa; Vitor Bonfim (PDT), que deseja se manter na AL; Olívia Santana (PCdoB), que também quer concorrer ao cargo de deputada estadual; Carlos Martins (PT), que ainda vai definir se concorre a um cargo em Brasília ou na AL.

Outra mudança praticamente confirmada envolve Walter Pinheiro, que deixará a educação e deve encerrar a carreira de senador em Brasília. Jorge Portugal deixará a pasta da cultura, seguido por Geraldo Reis, que deve deixar a pasta de meio-ambiente para outra ainda a ser definida.

O futuro de Fábio Vilas Boas e de Jerônimo Rodrigues seguem indefinidos, mas o desenrolar das próximas e longas reuniões devem apontar para o que será feito com eles e demais secretários nesse complexo tabuleiro de xadrez e vaidades políticas.


*Radar da Bahia

Nenhum comentário