Novidades

Golpe do falso emprego faz 80 vítimas na região metropolitana

Os anúncios de emprego com a promessa de bons salários e outras vantagens atraem pessoas que buscam uma colocação no mercado de trabalho. Mas, em alguns casos, as atraentes oportunidades são golpes do falso emprego. Esse tipo de golpe se tornou mais frequente por causa do grande número de desempregados.

Pelo menos 80 pessoas na região metropolitana de Salvador teriam sido vítimas em golpe do falso emprego, que atraiu vítimas de  Simões Filho, Salvador, Candeias, Camaçari e outras cidades da RMS. As vagas apresentadas pelos estelionatários são convincentes, mas no fim é crime.

No golpe, um dos suspeitos se identificava como “Rogério” para às vítimas. Ele utiliza símbolos e marcas oficiais da Prefeitura Municipal de Candeias como forma de dar legalidade as contratações. Segundo a polícia, o golpe acontecia da seguinte forma. O grupo divulgava as vagas em um site de anúncios na internet, oferecendo cargos de motorista e fiscal da prefeitura. Após visualizar as vagas e demonstrar interesse, as vítimas entravam em contato com o suspeito e na ânsia de conquistar a oportunidade, já agendava as entrevistas por telefone, em seguida, eram orientadas a efetuarem o depósito bancário no valor de R$300 para acelerar o processo. No dia seguinte, elas recebiam a guia de exames admissionais para as supostas vagas.

Após realizar todos os exames, as vitimas entravam em contato novamente com o “suposto facilitador”, mas eram informadas que as contratações não poderiam ser realizadas. Revoltadas, as vítimas pediam ressarcimento do valor pago, no entanto, não tiveram o dinheiro de volta e denunciaram o caso a Polícia Civil.

A Polícia Civil já decretou a prisão preventiva dos suspeitos, que já foram identificados. Se as fraudes forem comprovadas, eles responderão por crime de estelionatário.

Por meio de nota, a prefeitura esclarece que “todo e qualquer ato administrativo, inclusive os que têm o objetivo de contratação via concurso, processo de contratação simplificada (REDA) e/ou qualquer outro chamamento público, somente terão validade mediante a publicação no Diário Oficial do município, bem como no site oficial da instituição”.

A prefeitura informou também que “dará todo apoio a polícia destacando ainda que a gestão não compactua com erros, e por isso, vai colocar à disposição da investigação, todos os dados que ajudem na identificação do autor ou até mesmo de cúmplices, inclusive para proteger o nome e a imagem do município”.


*Simões Filho Online

Nenhum comentário