Novidades

Desesperada mãe faz apelo em Simões Filho - Veja

Toda mãe tem em seu coração o desejo de ver seu filho saudável e feliz. Essa vontade incessante tem sido as forças para manter de pé, todos os dias, Manuela Santana Santos, 25 anos, moradora do Conjunto Habitacional Ipitanga, no bairro de Simões Filho 1, em Simões Filho, região metropolitana de Salvador. Manuela faz um apelo às autoridades públicas, empresários e aos simõesfilhensses em geral, para que ela possa prover uma melhor qualidade de vida aos seus dois filhos portadores de necessidades especiais que passam por graves problemas de saúde.

Manuela é mais uma das muitas pessoa que enfrenta a dura realidade da caótica situação da saúde no município. Seu filho Neytan Oliveira, de 4 anos, é autista, possui retardo mental, adquiriu obesidade devido as medicações o qual faz uso e agora, precisa de uma bota ortopédica, pois suas pernas estão bastante tortas e, o médico solicitou o uso do equipamento com urgência. Os problemas  da dona de casa, não param por aí, o seu bebê Nichollas Santos, de apenas 1 ano, também enfrenta complicações na saúde, o garotinho sofre da doença de epilepsia e as constantes convulsões têm deixado a mãe, cada dia mais preocupada e sem saber o que fazer, pois o garotinho necessita fazer uma tomografia com urgência.

A prefeitura não está fazendo nada, nos postos não há medicação e nem as fraldas disponibilizam, eu gasto o pouco dinheiro que ganho todo com fralda. Já fui várias vezes até a Secretária de Saúde, eles informam que aguardam por uma licitação, e me pedem somente para ter calma e fé, enquanto o caso dos meus filhos só se agravam. A prefeitura recebe verba para destinar às crianças especiais, mas não tenho recebido nenhum benefício.Eu vivo para meus filhos e por isso busco ajuda”,afirmou.

As dificuldade só aumentam para dona de casa que não pode trabalhar, pois vive em prol das crianças, que passam o dia todo em casa, já que na cidade não possui uma ‘Creche Especial’ para os garotos. “Faço meu apelo a quem puder me ajudar, pois não posso trabalhar para comprar as medicações, fraldas e nem mesmo prover uma alimentação adequadas para as crianças”, pediu.

Ainda segundo Manuela, a pediatra solicitou uma tomografia para seu filho Nichollas, que por sinal já está na regulação, mas não tem data definida. Já o Neytan  necessita urgente da bota ortopédica, que custa acima de dois mil reais, mas que com a solicitação do médico do Martagão Gesteira, que ela  possui em mão ela pode  conseguir um desconto e comprar o equipamento por R1.200,00 e ainda assim o valor ultrapassa a sua realidade.

Quem desejar ajudar Manuela e aos seus filhos, pode entrar em contato com a reportagem do Simões Filho Online, através do número 71 9 8652-3364.

A reportagem do Simões Filho Online, parceiro do Aratu Online, entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Simões Filho, mas até a publicação desta matéria, o órgão não deu nenhum posicionamento sobre o caso.


*Simões Filho Online

Nenhum comentário