Novidades

Presos suspeitos de matar auxiliar de classe na Boca do Rio


A Polícia Civil prendeu o auxiliar de pedreiro Gerson dos Santos Nascimento, conhecido como Aquático, 20 anos. Ele é um dos suspeitos de matar a auxiliar de classe Joy Soares da Silva, 38, no bairro da Boca do Rio, em Salvador, no último dia 8. A polícia chegou a Aquático depois que ele cometeu outro homicídio no município de Água Fria, Centro Norte do estado, no último sábado (17). Gerson foi preso em flagrante com dois comparsas: Márcio Nascimento, 30, e Edvan Diógenes, 20, após matar Felipe de Jesus Nunes. Eles também são suspeitos de participar da morte de Joy.


“Eles vitimaram o Felipe lá (em Água Fria). Quando a Polícia fez buscas no sistema, observou que Aquático teria um mandado de prisão em aberto. Aí eles foram flagranteados por homicídio e porte ilegal de arma de fogo”, afirmou Marta Carine. Quem investiga o assassinato de Felipe é a delegacia de Serrinha, também no Centro Norte.

Segundo a polícia, Gerson Aquático teria cometido mais quatro homicídios, incluindo o irmão de Joy, Jackson, conhecido como Pikachu, em outubro do ano passado – neste caso, supostamente, ao lado do marido dela, Robson, conhecido como Boca de Pagode. 
Ainda de acordo com as investigações, Aquático e Robson foram aliados até a morte de Jackson. Depois do crime, eles "romperam".

Em sua defesa, Aquático disse que não cometeu nenhum dos homicídios.


“Não, não matei Dona Joy. Quem matou Joy foi o povo do Bonde do Maluco (BDM). Eu sou do Comando da Paz (CP). Botaram a culpa toda pra mim”, afirmou, ao ser apresentado à imprensa nesta terça.

Ex-aliados
A delegada Milena Calmon, também responsável pelo caso, confirmou que o ex-marido de Joy, Robson, seria um dos líderes do tráfico no Curralinho e que é suspeito de matar o cunhado, junto com o ex-comparsa Aquático.

De acordo com a investigação, após a morte de Pikachu, Robson teria brigado com Aquático. De acordo com a delegada Simone Moutinho, Robson expulsou Aquático, que na época era seu aliado, do bairro. 

“Ele mandou Aquático ir para Portão, em Lauro de Freitas. Provavelmente, essa determinação foi o estopim da briga. Quando Gerson chegou em Portão, ele ficou auxiliando na invasão da Boca do Rio, área comandada pelo ex-marido de Joy”, contou ela.

Aquático admitiu a briga com Boca de Pagode.
“Houve a briga e eu fui embora porque queriam me matar. Eu fui tentar mudar de vida em Portão. Agora, eu sou homem pra assumir o que eu faço. Já ele [Robson] diz que não está mais envolvido, mas ele está assim. Vamos ver se ele não está”, concluiu.

Ainda conforme a polícia, Aquático também é investigado por um duplo homicídio no ano passado. Ele e os dois comparsas presos em flagrante em Água Fria já foram encaminhados para o sistema prisional.



*Correio da Bahia

Nenhum comentário