Novidades

Morte do menino Miguel cai no esquecimento da prefeitura de Simões Filho

O garoto Miguel Pereira Santos, 10 anos, foi morto no último dia 31 de outubro de 2017, ao ser atropelado por um ônibus escolar, na cidade de Simões Filho na Região Metropolitana de Salvador. Ao contrário do que todos pensavam, a prefeitura municipal não vem dando nenhum apoio a família da vitima. 


Em entrevista exclusiva ao Programa Panorama de Notícias, na manhã desta terça-feira (24), Ruana Cruz Fidelis, mãe do garoto falou sobre o caso. 

"De inicio houve sim uma ajuda da prefeitura logo no falecimento de Miguel, eles nos ajudaram com o velório, deram esse suporte no momento, fora isso eles esqueceram o caso. O caso de Miguel caiu no esquecimento tanto para os governantes quanto para os demais", desabafou a genitora.

Há oito meses do fato, e a família ainda não teve acesso ao Boletim de Ocorrência, o que lhe dará acesso ao seguro dpvat. 

Miguel Fidelis Neto, o pai do menino, falou sobre a demora em pegar boletim.

"O boletim de ocorrência até hoje não tivemos acesso, já tivemos inúmeras vezes na delegacia até com as nossas advogadas e não tivemos acesso. Tivemos também no Ministério Público onde fizemos um requerimento e nem esse requerimento do MP daqui de Simões Filho eles aceitaram. Todas as vezes em que vamos na delegacia eles alegam uma desculpa diferente, primeiro foi o laudo, o laudo cadavérico saiu e faltava só a assinatura do delegado titular, o qual não tivemos nenhum contato com ele", afirmou o pai. 

Ainda na noite de (31/10), o prefeito da cidade de Simões Filho, Diógenes Tolentino – Dinha (PMDB), emitiu uma nota de pesar lamentando e dando apoio aos familiares do garoto Miguel Pereira Santos.

NOTA DE PESAR
A Prefeitura Municipal de Simões Filho, através do Prefeito Diógenes Tolentino, manifesta seu profundo pesar pela fatalidade que vitimou o estudante M.P.S., 10 anos.

Este é um momento de dor para toda Simões Filho. Diante dessa perda irreparável, o Prefeito se solidariza com a família, pedindo a Deus conforto espiritual para todos.

Ainda nesta terça-feira (24), o Repórter Romário dos Santos esteve na 22ª Delegacia, onde não conseguiu falar com o delegado titular Ciro Carvalho Palmeira.


Por Ataíde Barbosa









Nenhum comentário