Novidades

“Se eu tivesse aqui, ele não estaria na hora do fogo” lamenta amigo da vítima que sumiu em incêndio

Nesta terça-feira (4), um amigo do morador José Hunaldo Moura de Carvalho, de 85 anos, desaparecido após um incêndio que atingiu casarões na Baixa dos Sapateiros, em Salvador, disse ao site G1 que sentiu muito em saber que a vítima estava no imóvel no momento em que pegou fogo. 

"Eu deveria ter vindo aqui ontem. Cheguei a conversar com ele, mas eu não pude vir porque tive uma emergência. Se eu tivesse aqui, ele não estaria aí dentro na hora do fogo", disse Juraci Cordeiro, que é advogado.

O amigo ainda contou emocionado que ia visitar José na noite desta segunda-feira (3), mas não conseguiu. Segundo Juraci, ele e a vítima costumavam sair durante essa visita, e só retornavam na madrugada.

"Sempre que eu chegava aqui, a gente saía para conversar e ficava horas na rua. Por isso eu sinto essa coisa, porque se eu tivesse vindo aqui, ele não estaria preso no casarão. Eu tinha que ter vindo. Fico com isso na cabeça, tive outra emergência. É difícil conviver com isso”, disse Juraci em lágrimas.

A família do idoso desaparecido é da cidade de Aracaju, cidade onde ele nasceu. Em Salvador ele tem poucos parentes, um deles é Angélica Barbosa, 66 anos também idosa. 

Segundo Angélica, a maior parte da família ainda não sabe do que aconteceu, por morar em outro estado. "Ele não era só um primo, era mais que isso, um irmão, quase um pai. O pai dele criou meus irmãos, criou minha família toda. Tudo a gente deve a ele” reiterou.

José Hunaldo tinha cinco filhos, dois homens, duas mulheres e uma adolescente de 15 anos. A loja que funcionava no casarão era da família do idoso.



*Radar da Bahia

Nenhum comentário