Novidades

Bellintani se manifesta sobre permanência de Enderson Moreira


A má fase do Bahia vem gerando descontentamento entre os torcedores. Após a eliminação na Copa Sul-Americana e a campanha ruim na Copa do Nordeste e no Campeonato Baiano, o único desejo dos tricolores é a saída de Enderson Moreira do cargo de técnico do time, mas o sonho está aparentemente longe de ser realizado.

Em entrevista coletiva na sexta-feira (15), no Fazendão, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, assumiu a responsabilidade pela permanência do treinador no Esquadrão.

De acordo com o GloboEsporte.com, o time optou pela manutenção do trabalho que Enderson vem fazendo.

“Eu primeiro acho que o normal no futebol brasileiro, um treinador com os resultados que temos, pela expectativa criada, normal seria o treinador perder o emprego. O Bahia tem procurado agir de forma diferente. Quando a gente analisa os resultados, o automático, se tivesse um presidente populista, a reação seria a demissão do treinador. Mas temos que olhar os motivos do problema. Se não fizer uma mudança na origem do problema, será inócua. O Bahia tem olhado para longo prazo, mesmo que isso custe um desgaste. Não tenho dúvida que uma decisão de permanência do treinador quando todos esperavam a demissão é responsabilidade minha. O normal, o habitual, seria o desligamento”.

Para Bellintani, um dos motivos que justificam a permanência do técnico é o trabalho que ele fez no final do ano passado, ao lutar pela permanência na Série A do Brasileirão.

“Vou dar dois ou três motivos que me levaram pela permanência. Primeiro, o trabalho que fez ano passado. Sei que temos um elenco mais fortalecido este ano, mesmo perdendo peças importantes. O pouco tempo da temporada é a segunda coisa. Temos 60 dias da temporada. Muito pouco tempo para tomar uma decisão, mesmo diante dos resultados que estamos tendo. A terceira coisa é a análise geral do trabalho. De ponta a ponta, a gente vê e tenho conversado com cada um, a sensação unânime de que o trabalho é um dos melhores já feitos no Bahia nos últimos anos. Há um caminho para que os resultados venham. Naturalmente a manutenção de resultados ruins força a visão de que, se continuar, teremos que mudar. O Bahia tem diálogo frontal com as pessoas. O treinador sabe que vive de resultados, mas, no Bahia, se os resultados demoram para acontecer isso não gera necessariamente uma avaliação precoce do trabalho”.

O Bahia volta a campo neste domingo (17), em busca da classificação para a segunda fase do Campeonato Baiano contra o Jequié, no Waldomirão.



*Bahia.Ba

Nenhum comentário