Novidades

Filho de Bolsonaro namorou filha de suspeito no caso Marielle


Um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve um relacionamento amoroso com uma filha do policial militar reservado Ronnie Lessa, preso nesta terça-feira (12) acusado de ser o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes, em março do ano passado.

A confirmação do namoro partiu do delegado responsável pela investigação da morte de Marielle no inquérito que corre na DH (Delegacia de Homicídios) da Polícia do Rio. As informações são do jornal Valor Econômico.

Giniton Lages afirmou que uma filha de Lessa teria sido namorada de um dos filhos de Bolsonaro, sem detalhar qual deles. “Isso tem (namoro entre os dois), mas isso, para nós, hoje, não importou na motivação delitiva. Isso vai ser enfrentado num momento oportuno. Não é importante para esse momento”, disse Lages, durante a coletiva de imprensa realizada na tarde de terça.

Lessa mora no mesmo condomínio do presidente da República e de seu filho Carlos Bolsonaro, na Barra da Tijuca, onde foi preso na terça. O outro preso na Operação Lume foi o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, expulso da corporação. Élcio é apontado como condutor do Cobalt prata usado na emboscada contra a vereadora.

ÓDIO CONTRA A ESQUERDA
Geniton confirmou nesta terça-feira (12) que haverá uma 2ª etapa de investigações, onde serão investigados possíveis mandantes do crime e o paradeiro do carro utilizado no dia do assassinato.

De acordo com Lages, nesta segunda etapa será investigada ainda a motivação do atirador, uma vez que os policiais identificaram que Ronnie Lessa, policial militar reformado detido hoje, nutria ódio contra pessoas de esquerda e havia pesquisado informações de Marielle e o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), entre outros.

“O perfil dele [Ronnie Lessa] revela uma obsessão por determinadas personalidades que militam à esquerda política”, disse Lages. “Você percebe ódio e desejo de morte. Você percebe o comportamento de alguém capaz de resolver uma diferença do modo como foi o caso Marielle.”

Segundo o delegado, as apurações não se encerram nas prisões do sargento reformado Ronnie Lessa e do ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, realizadas nas primeiras horas desta terça-feira.

“O caso ainda está em aberto. Estamos entregando a primeira fase, e a segunda ainda está em andamento”, disse o delegado, que lembrou que hoje foram cumpridos também 34 mandados de busca e apreensão referentes ao caso.


*Yahoo

Nenhum comentário