Novidades

Vereador Bolly Bolly tem projeto aprovado na Câmara de Simões Filho

A Câmara aprovou na última terça-feira (19), o Projeto de Lei de nº 002/2019, de autoria do vereador Cleiton Bolly Bolly (SD), que institui o Dia Municipal do Orgulho LGBT no município de Simões Filho.

O Projeto de Lei institui que a data deverá ser comemorada todo terceiro domingo do mês de setembro. O projeto estabelece que a data passe a constar no calendário oficial do município, objetivando homenagear os homossexuais e promover os direitos, a livre orientação sexual e a identidade de gênero.

Autor do projeto, o vereador Cleiton Bolly Bolly afirmou que o projeto é a favor da comunidade gay. O edil disse ainda que o projeto é uma forma de se manifestar contra excessos e privilégios destinados à comunidade gay. “Colocamos este Projeto de Lei nesta Casa porque nós sabemos que o Estado é laico e, acima de tudo, estamos legislando para o povo e este projeto fala de direitos iguais para todos e agora municipalizando a Lei nós estamos mostrando que não temos preconceito e cada um tem a sua legitimidade com a sua orientação sexual”, declarou Bolly.

A data, segundo Bolly, tem como objetivo fomentar a discussão sobre o preconceito ainda sofrido por pessoas que se enquadram nesse grupo. “A bandeira que todos nós representamos nesta Casa é a bandeira do povo e é por isso que o nosso prefeito Dinha tem defendido todas as classes e todas as causas”, completou o vereador.

Os 19 vereadores presentes manifestaram-se a favor a durante a discussão e votação do projeto no plenário, elogiaram o vereador Bolly pela proposição e destacaram o respeito à comunidade LGBT representada por Rafael Myranda e José Lefet no Legislativo. ”Nós estamos aqui através da democracia e nós temos que entender a democracia de cada um e devemos respeitar e o grupo LGBT é bem-vindo nesta Casa porque nós não fazemos acepção de pessoas”, disse Adailton Caçambeiro (PRP).

O líder da oposição na Câmara, o vereador Sandro Moreira (PSL), defendeu a legitimidade do projeto e da luta e resistência dos representantes da comunidade LGBT, Rafael e Lefet e de todos que levantam a bandeira da diversidade. “Nós temos que ter o respeito e o cuidado com todos os cidadãos”, disse Sandro.

O projeto depende apenas de sanção do prefeito Diógenes Tolentino Oliveira (Dinha), para virar lei.



*Ascom/CMSF

Nenhum comentário