Novidades

Em cirurgia, baiano descobre que tinha pedra de quase 1,5 kg na bexiga


Um caso raro de cálculo na bexiga causou espanto no Hospital Municipal Antônio Teixeira Sobrinho (HMATS), em Jacobina, na região da Chapada Diamantina.

A princípio, seria só mais uma cirurgia para a retirada de uma pedra na bexiga de um paciente. Mas, durante o procedimento, para surpresa do médico urologista João Cléber Coutinho, 50 anos, e de sua equipe, não era uma pedra como as que eles estavam habituados a extrair. Ela pesava 1,3 quilo e media 18 centímetros.

A cirurgia foi realizada na última segunda-feira (20), após o paciente, que não teve a identidade divulgada, dar entrada no hospital alegando sentir muitas dores na barriga. 

Segundo o médico, o paciente é um lavrador de 51 anos, casado e com três filhos. Morador da zona rural de Miguel Calmon, a 30 km de Jacobina, ele estava com o problema há cerca de 20 anos, mas não se queixava de dores e nunca havia procurado um médico antes por achar que fosse algo normal. 

No entanto, nos últimos cinco meses, o lavrador passou a sentir muita dor na região e ficou com dificuldades de urinar normalmente. 
“Ele vinha sentindo ardência e peso na uretra, mas achava que era algo normal. Ele diz que sempre trabalhou na roça e nunca sentiu nada, até notar uma massa dura na barriga e vir nos procurar. Fizemos os primeiros exames e constatamos um cálculo de 10 cm, o que é normal nos casos de rins”, contou o médico. 

Atuando no hospital há 22 anos, João Cléber conta que trabalha em localidades da zona rural da cidade realizando atendimentos comunitários para ajudar as pessoas que mais precisam, mas afirma que nunca havia visto um caso como este. 

“Para mim foi uma surpresa, nunca tinha visto uma pedra deste tamanho. Gosto de dizer aos meus pacientes que quem opera não sou eu, mas, sim, Deus”, afirmou o médico. 

Ele informou ainda que o paciente segue internado na cidade, com previsão de alta para três dias. No entanto, seguirá em observação porque teve sua bexiga bastante estendida e os rins dilatados por conta da não circulação da urina. 

“Esse caso é o mais estranho da minha carreira. Quero agradecer muito a equipe que trabalha comigo em todas as cirurgias, do auxiliar de enfermagem ao anestesista e toda a direção do hospital que nos dá todo o apoio”, revelou. 

Ainda segundo o médico, existem diversas causas para o cálculo na bexiga. Num paciente idoso, a principal causa é a próstata, mas como o paciente possui apenas 51 anos, e o cálculo dele parecer ter no mínimo 20, a causa não seria essa. 

Já em outras situações, a causa seria disfunção miccional, que é um termo genérico utilizado para se referir a problemas de função da bexiga urinária, que incluem dificuldades no armazenamento ou esvaziamento da urina ou distúrbio metabólico e obstrução urinária baixa, dentre outras causas mais incomuns.



*Correio da Bahia


Nenhum comentário