Novidades

Você sabe quem são as rainhas do Milho e do Amendoim na Bahia?


O São João, festa de grande tradição e importância no estado e em todo o Nordeste, está bastante ligado à agricultura. Nela não podem faltar milho verde, cozido, assado, na forma de canjica, bolo ou mingau; amendoim, cozido ou no pé de moleque; muito menos o bolo de aipim. São produtos em que a Bahia se destaca no cenário nacional.

Segundo o Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2017, a Bahia era o 5º maior produtor de milho em espiga do país, com cerca de 23,9 mil toneladas colhidas, de um total de 4,9 milhões produzidas em todo o Brasil, 94% delas concentradas em Goiás.

E a ‘Rainha do Milho’ baiana é a cidade Sátiro Dias, no nordeste do estado. Com produção de cerca de 6,8 mil toneladas, o município é o maior produtor baiano de milho em espiga, respondendo por 28,3% do que foi colhido no estado. É também o 5º maior município produtor do Brasil.

Na produção nacional de amendoim, a Bahia ficava, em 2017, com a terceira posição e uma safra de 5,3 mil toneladas. No Brasil, naquele ano, foram colhidas 417 mil toneladas do produto, 92% delas por São Paulo.

Na Bahia, a ‘Rainha do Amendoim’ é Laje, cidade do centro-sul do estado, responsável por uma em cada 10 toneladas colhidas (10,5% do total ou cerca de 558 toneladas).

O estado era em 2017 o quinto maior produtor de mandioca (aipim, macaxeira) do país, com 419 mil toneladas, do total de 7,8 milhões de toneladas colhidas nacionalmente, a maior parte delas (18,1%) no Paraná.

Laje era mais uma vez a campeã na produção dessa raiz importante no São João e fundamental no dia a dia dos baianos. Produziu 11,3% de toda a mandioca do estado (47,4 mil toneladas).


*Bahia.Ba

Nenhum comentário