Novidades

"No momento não existe vinculo entre eu e Eduardo Alencar", declara Adolfo Cezimbra em entrevista

O Site Panorama de Notícias deu o ponta pé inicial nas movimentações políticas na cidade de Simões Filho, para as próximas eleições municipais, em 2020.

Ainda repercute em toda a cidade, a noticia divulgada com exclusividade na última segunda-feira (5), informando a pré-candidatura a prefeito de Adolfo Cezimbra em Simões Filho.

Ao lado do presidente municipal do PSB Marcos Campos, Adolfo foi o entrevistado do Programa Panorama de Notícias, nesta quarta-feira (7) na Rádio Simões Filho FM 87.9.

Inicialmente Adolfo falou sobre o seu vinculo com o ex-prefeito Eduardo Alencar (PSD). 

"No momento não existe vinculo entre eu e Eduardo Alencar, como eu não tive espaço no PSD eu me desfiliei e vim para o PSB. Porém eu tive um contato interior com ele antes das eleições no qual eu disse a ele que naquele momento eu iria apoiar a candidatura dele e do sobrinho dele a federal, sendo que em 2020 eu seria candidato a prefeito de Simões Filho, eu tive essa conversa com ele pessoalmente, ele me recebeu muito bem", explicou. 
Marcos Campos explicou porque a escolha de Adolfo na majoritária do partido. 

"O mais importante na vida pública é a gente observar dentro dessas candidaturas ou do pré-candidato alguns requisitos básicos como a questão ética, moral e a sua representatividade. Com isso eu quero dizer que Adolfo ele representa muito bem os interesses do PSB, até porque o PSB ele tem essa representatividade da relação direta com o povo, com a massa", pontuou. 

Trajetória de Adolfo Cezimbra 
Adolfo Cezimbra Tavares Neto, 76 anos, foi vereador por oito mandatos consecutivos em Simões Filho, sendo por três vezes presidente da Câmara Municipal de Vereadores. 

Adolfo foi o primeiro vice-prefeito de Simões Filho, pós o período de Segurança Nacional de 01/01/1986 a 08/12/1988. 

No período de 09/12/1988 a 31/12/1988, ele assumiu a prefeitura como prefeito interino após o abandono do então prefeito Eduardo de Santana Simões.




Por Ataíde Barbosa

Nenhum comentário