Novidades

Roger Machado minimiza desfalques no Bahia e foca na 'força do grupo'



Além dos machucados e suspensos, o Bahia não terá o zagueiro Juninho e o atacante Artur para enfrentar o Palmeiras. A dor de cabeça que o Tricolor tem com a situação poderia ser vista como um sério problema para o técnico Roger Machado, mas ele preferiu valorizar os possíveis substitutos do elenco durante entrevista coletiva na última quinta-feira (8), no Fazendão.

"As ausências fazem parte de um campeonato longo. Impactaram de lesões, cartões, por suspensões, por essas questões contratuais, que jogadores que foram emprestados não podem atuar contra os clubes que os emprestaram. Agora, com relação a ter feito testes, é o que menos me importa nesse momento. Juninho, por exemplo, chegou de empréstimo, quatro dias depois estava no campo, e atuou bem ao lado de seus companheiros. É a oportunidade para quem está treinando bem substituir esses atletas que hoje são titulares. E poder mostrar força do nosso grupo", declarou.

Se enganou quem acreditava que o lateral-direito João Pedro já pudesse fazer a sua estreia no próximo domingo (11). Segundo Roger, o recém-chegado ainda trabalha a parte física.

"João está passando por processo de condicionamento físico. Estava treinando a parte, veio de férias, pela característica física é muito potente, de muita massa muscular, precisa estar bem fisicamente para não ter problemas no futuro próximo. A gente precisa ter um pouco de paciência. A paciência vai ser no campo com a bola. Ele vai se condicionando nos pequenos jogos, fazendo trabalho analítico em outros. Para esse jogo, não teremos João Pedro. Talvez para o próximo fim de semana esteja em condição de nos ajudar", indicou.

Pensando em conseguir um bom resultado, o técnico fala em fazer uma partida consistente diante do alviverde. A solidez passa pela defesa do Esquadrão de Aço.

"Se defender não está ligado a abrir mão de ganhar. Defender é uma estratégia, todo time tem que se defender. Futebol é jogo de erro, não de acerto. Quem errar menos mantém o zero no placar e tem mais chances de vencer. A estratégia pode mudar de acordo com o adversário, mas a gente sempre joga para vencer. Às vezes não é possível. Ainda mais em um jogo como esse, um Palmeiras que perde pouco dentro de casa, tem um fator local muito forte com o apoio da torcida. Temos que fazer uma partida consistente, sólida, eficiente, para ter a chance de vencer aumentada. Esse é nosso intuito. A forma como vamos jogar se eu disser alguma coisa, facilito o outro lado", explicou.



*Bahia Notícias/Fotos - Felipe Oliveira/EC Bahia

Nenhum comentário