Novidades

Ministério da Saúde antecipa campanha de vacinação para março

O Ministério da Saúde irá antecipar a campanha nacional de vacinação contra a gripe. Segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta, a campanha irá começar no dia 23 de março. A informação foi divulgada na tarde desta quinta-feira (27) em entrevista coletiva. A campanha seria realizada em abril.

A antecipação se deu pela confirmação do primeiro caso de coronavírus no país. Apesar de serem vírus diferentes, os sintomas são parecidos e podem deixar a população confusa e sobrecarregar o sistema de saúde.

Segundo Mandetta, o objetivo da antecipação da campanha é diminuir a espiral de epidemia deste vírus (Influenza) que pode confundir a população e auxiliar muito o sistema de saúde.

De acordo com a pasta, este ano serão distribuídas 75 milhões de doses, recorde nacional. O público-alvo da campanha deste ano será ampliado. No ano passado, a recomendação era vacinar crianças de seis meses a menores de seis anos; mulheres que deram à luz há menos de 45 dias; idosos; profissionais de saúde; professores da rede pública ou privada; portadores de doenças crônicas; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; e portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo).O Ministério da Saúde irá antecipar a campanha nacional de vacinação contra a gripe. Segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta, a campanha irá começar no dia 23 de março. A informação foi divulgada na tarde desta quinta-feira (27) em entrevista coletiva. A campanha seria realizada em abril.

A antecipação se deu pela confirmação do primeiro caso de coronavírus no país. Apesar de serem vírus diferentes, os sintomas são parecidos e podem deixar a população confusa e sobrecarregar o sistema de saúde.

Segundo Mandetta, o objetivo da antecipação da campanha é diminuir a espiral de epidemia deste vírus (Influenza) que pode confundir a população e auxiliar muito o sistema de saúde.

De acordo com a pasta, este ano serão distribuídas 75 milhões de doses, recorde nacional. O público-alvo da campanha deste ano será ampliado. No ano passado, a recomendação era vacinar crianças de seis meses a menores de seis anos; mulheres que deram à luz há menos de 45 dias; idosos; profissionais de saúde; professores da rede pública ou privada; portadores de doenças crônicas; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; e portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo).


*Bahia.Ba

Nenhum comentário