Novidades

Paciente teve surto psicótico e ateou fogo em colchão no Hospital Espanhol


Um paciente diagnosticado com o novo coronavírus (Covid-19) que estava internado no Hospital Espanhol, em Salvador, provocou um princípio de incêndio na unidade durante o final da noite de terça-feira (5).

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, o homem teve um surto psicótico e ateou fogo no colchão do quarto 429, no 4º andar, onde recebia tratamento.

Um dos sintomas da Covid-19 é a falta de ar e pode provocar desorientação mental, conforme explicou Vilas-Boas, que está na unidade acompanhando a situação na manhã desta quarta-feira (6).

“O Hospital Espanhol teve um incêndio causado por um paciente que entrou num quadro de surto psicótico, tocou fogo no colchão, colocou sua cama contra a porta para impedir a entrada de socorristas e jogou-se da janela do quarto andar até a laje do terceiro andar do teto da UTI. Na queda, ele fraturou a perna. Rapidamente os profissionais do hospital conseguiram arrombar a porta e com o uso de extintores de incêndio debelaram rapidamente o fogo”, explicou.

Apesar da rápida ação, a fumaça se espalhou por todo o 4º andar, atingindo ainda o 5º e o 3º andar, que também precisaram ser evacuados. Pacientes que estavam internados no hospital foram transferidos para outras unidades hospitalares. A reforma nos pavimentos será iniciada assim que o Corpo de Bombeiros liberar o acesso.

“Por enquanto, vamos abrir a enfermaria do sexto andar que ainda estava fechada e não foi atingida pela fumaça, e começar reocupar os leitos o mais rápido possível. Nós também iremos providenciar a colocação de grades nas janelas, uma vez que esses pacientes que estão com coronavírus eventualmente podem cursar, com diminuição da oxigenação do sangue, e isso pode estar sendo responsável pelo desencadeamento desses quadros de desorientação ou eventuais surtos em pacientes predisponente. O hospital espanhol está plenamente operacional, apenas com esse incidente que aconteceu em uma das enfermarias”, explicou o secretário estadual de Saúde.



*Bahia.Ba

Nenhum comentário