Novidades

Professora é demitida após minimizar estupro da menina de 10 anos no ES


Uma professora de uma escola em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, foi demitida depois de criticar o aborto legal feito por uma menina de 10 anos. A garota engravidou após ser estuprada pelo tio em São Mateus (ES). 

Eliana Nuci de Oliveira lecionava na educação básica da escola Professor Frederico de Barros Brotero e na escola Fábio Fanuchi. Em comentários no Facebook, ela minimizou a violência sofrida pela criança.

A professora questionou por que a criança nunca tinha contado dos abusos e insinuou que a menina era paga para ter relações sexuais. A garota começou a sofrer os estupros aos seis anos de idade. Com a repercussão dos comentários, a professora foi demitida pela Secretaria Estadual de Educação.

"Agora tirar a vida de um inocente é triste demais. Criança se defende chorando para mãe, está menina nunca chorou por quê? Não foi nenhuma violência. Ela já tinha vida sexual há 4 anos com esse homem. Deve ter sido bem paga", escreveu a professora na rede social.

O secretário de Edução Rossielli Soares da Silva afirmou que a exoneração foi feita para que Eliane não dê aulas para crianças.

“É um absurdo uma profissional que deve ser educadora e defensora da infância afirmar que não é uma violência. Repúdio total a qualquer um que defenda um absurdo”, disse ele à Folha de S. Paulo.

A criança precisou viajar para o Recife (PE) para fazer o procedimento de interrupção da gravidez. Houve protestos em frente ao hospital. Ela recebeu alta ontem. Por segurança, não foi informado o destino da criança, que deve ter sua privacidade respeitada, conforme determina a legislação.

Na véspera de deixar o hospital, a menina pediu para realizar um sonho: comer um hambúrguer do McDonald's. O pedido foi realizado.


*Correio da Bahia

Nenhum comentário