Novidades


 

 


Confira os benefícios dos alimentos orgânicos


No Brasil, o uso de agrotóxicos na produção agrícola se tornou comum para eliminar insetos ou pragas nas plantações. Em 2019, um projeto de Lei atualizou a legislação dos agrotóxicos ao propor uma série de mudanças para afrouxar as regras sobre o uso, controle, registro e fiscalização dessas substâncias químicas. Ao mesmo tempo, esse movimento parece ter chamado a atenção das pessoas à preocupação sobre a origem dos alimentos que colocam no prato e ter fomentado um crescimento na busca por alimentos orgânicos e naturais. Considerando os malefícios que os agrotóxicos trazem para a saúde e meio ambiente, a Liv Up, foodtech de alimentação saudável, lembra que é importante também saber que certas frutas e legumes sofrem maior contaminação por esses pesticidas e por isso tem ampliado a sua oferta de soluções saudáveis, práticas e que geraram impacto em toda a cadeia, por meio da ampliação de alimentos orgânicos oferecidos em seu Mercado Online e quitanda com foco em levar opções naturais e livres de pesticidas para quem busca comer e viver melhor.


O uso de agrotóxicos é tão desvantajoso para o produtor, que fica em contato direto com a plantação, quanto para os consumidores, colocando a saúde de todos em risco, submetidos ao desenvolvimento de doenças graves como problemas nos rins, no fígado, ou até mesmo câncer, assim como afirma o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Por isso, para além do cuidado na seleção dos alimentos e a higienização de produtos frescos, a melhor alternativa, e que tem crescido e ganhado atenção dos consumidores nos últimos tempos, é a substituição dos alimentos convencionais pelos naturais e orgânicos.


Conhecidos por não utilizar venenos e adubos químicos em sua produção, para serem considerados alimentos orgânicos e darem uma garantia na origem, outras condições são exigidas por lei. De forma simplificada, além de serem produzidos para diminuir os impactos ao meio ambiente, aos recursos naturais e as espécies de animais e plantas locais; também são preocupados em não degradar o solo e fontes de água; respeitam os direitos dos trabalhadores envolvidos em sua produção e não contam com o cultivo de transgênicos e nem com a utilização de agrotóxicos ou outras substâncias sintéticas, como hormônios, drogas veterinárias, adubos ou antibióticos, sendo avaliados e certificados por órgãos reguladores do governo.




*Bahia Notícias

Nenhum comentário