Novidades

 


Caso Atakarejo: Polícia retoma operação que investiga morte de Bruno e Yan


O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) deflagrou, na manhã desta quarta-feira (30), a 2ª fase da Operação Retomada, que investiga o 'caso Atakarejo', quando Bruno e Yan Barros morreram ao serem entregues a traficantes após furtarem carnes do supermercado, em Salvador.

Estão sendo cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão, mas a polícia ainda não informou a quantidade de mandados e o que já foi recolhido pelos agentes.

Segundo a diretora do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), a delegada Andréa Ribeiro, a investigação continua e a polícia está buscando por outras pessoas que participaram de formas direta e indireta das mortes do tio e sobrinho, para que todos os envolvidos no caso sejam presos e apresentados à Justiça.

Na 1ª fase da Operação Retomada, realizada no dia 10 de maio deste ano, oito pessoas, entre seguranças e traficantes, foram presas. Três delas são funcionários do Atakarejo e outras cinco são suspeitos de tráfico de drogas e de envolvimento no crime.

A operação de hoje é realizada por equipes das polícias Civil (DHPP, Depom, Draco, DCCP e AEXPJ) e Militar (COPPM, Rondesp Atlântico, Batalhão de Choque, 40a CIPM e 35a CIPM).


Prorrogação de prisão

As prisões dos oito suspeitos de envolvimento nas mortes de Bruno e Yan Barros. O prazo de 30 dias da prisão temporária expirou no dia 9 de junho.

De acordo com a Polícia Civil, o inquérito policial foi prorrogado para a coleta de novos dados e análise de laudos periciais.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou que está acompanhando as investigações e aguarda o envio do inquérito policial para se manifestar sobre o caso. A rede de hipermercados Atakarejo não comentou a prorrogação das prisões.




*Varela Net

Nenhum comentário