Novidades


 

 


Filhos de Gugu Liberato cortam relações em briga por herança; entenda


A briga pela herança de Gugu Liberato, que morreu aos 60 anos, após uma queda no final de 2019, rachou mais uma vez a família do apresentador. Seus filhos João Augusto Liberato, de 19 anos, e Marina Liberato, de 17, cortaram relações e, como é de praxe entre famosos, deixaram de seguir um ao outro nas redes sociais.

Sofia, gêmea de Marina, está fora do “barraco” e, pelo menos no Instagram, não deu unfollow em nenhum dos dois – que também seguem a irmã.

A briga entre João e Marina estourou depois das meninas se manifestarem contra a tia, Aparecida Liberato, irmã de Gugu, em um vídeo que viralizou na internet. Inventariante do irmão, é ela quem controla o dinheiro que as adolescentes recebem – as duas reclamaram que ganham um valor baixo comparado ao irmão e à avó, Dona Maria do Céu, e que a tia não aceitou dar um aumento de mesada, que hoje é de 500 dólares (R$ 2,6 mil), para 2.500 (R$ 13 mil). Sofia ainda virou meme por dizer que não ficou feliz por não poder comprar o Porsche de seus sonhos.

No entanto, aparentemente a disputa vai além dos valores recebidos: João e Sofia e Marina estão em lados opostos da divisão da herança de Gugu. O apresentador deixou uma fortuna estimada em R$ 1 bilhão, boa parte dela em imóveis e em empresas. Em seu testamento, ele estipulou que 75% de tudo ficassem para os filhos – 25% para cada um – e que os outros 25% fossem divididos entre os cinco sobrinhos – 5% para cada um. Gugu deixou de fora Rose Miriam Di Matteo, mãe de seus filhos.

Rose, que é médica, entrou na Justiça pedindo o reconhecimento da união estável com o apresentador, o que lhe daria direito também à parte da herança. A família de Gugu contesta e diz que ela era apenas a mãe de João, Marina e Sofia, e que os dois não tinham um casamento. João ficou do lado de Aparecida e contra a mãe. As gêmeas, do lado de Rose – elas inclusive contrataram o mesmo advogado da mãe e pedem uma auditoria no inventário e nas ações de Aparecida.




*MSN Notícias

Nenhum comentário