Novidades


 

 


Paulo Carneiro pode ser afastado do Vitória nesta quinta-feira


O Vitória só volta a campo no próximo sábado, mas tem uma decisão importante pela frente, nesta quinta-feira, 2, na Toca do Leão. Os conselheiros do clube foram convocados para uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo (CD), que vai votar o afastamento do presidente Paulo Carneiro, a pedido da Comissão de Ética do Rubro-Negro.

A “leitura e deliberação do parecer da Comissão de Ética acerca do relatório da Comissão Especial” aparece como única pauta no edital de convocação assinado por Fábio Mota, presidente do CD.

O citado relatório vai ser usado como base para um pedido de afastamento por 60 dias. De acordo com o que foi apurado pela reportagem, a tendência é que a votação confirme a derrota de Paulo Carneiro. Nesse caso, quem assume o clube durante o período é Fábio Mota, presidente do Conselho Deliberativo.

Diante do iminente afastamento, Paulo Carneiro tem se movimentado nos bastidores para tentar impedir a realização da reunião extraordinária. O evento, inclusive, estava previsto para acontecer na semana passada, mas foi adiado depois que cinco conselheiros da bancada de apoio do cartola entraram com uma liminar na Justiça.

Nos últimos dias a estratégia foi repetida, mas dessa vez sem sucesso. Três dos conselheiros já até renunciaram ao cargo. Eles foram denunciados pelo Conselho Deliberativo, que pediu condenação por “litigância e má fé”, que é quando o acusado usa de procedimento ilícitos para procrastinar algum processo.


O relatório

O parecer apresentado pela Comissão de Ética na reunião desta quinta vai ser baseado em um relatório produzido por uma Comissão Especial criada para investigar a atual gestão de Paulo Carneiro, que teve início em abril de 2019.

Para indicar que houve uma gestão temerária por parte de Paulo Carneiro, o relatório traz à tona as negociações de Jordy Caicedo e Diego Rosa. O Vitória tomou empréstimo de pouco mais de R$ 3 milhões da empresa Magnum para comprar Jordy, e como garantia cedeu 15% dos direitos de Diego Rosa. O acordo, no entanto, não foi registrado em contrato.

Em nota assinada por Paulo Carneiro, o Conselho Diretor do Vitória rebateu as acusações de gestão temerária. “Querem encontrar pontos incompatíveis com o resultado apresentado para politicamente desestabilizar o clube”, diz trecho do documento.

A comissão que investigou Paulo Carneiro também destacou o fato de o cartola ter antecipado seus vencimentos mensais em diferentes oportunidades. A soma dos adiantamentos de salário chega a quase R$ 65 mil. Existem ainda denúncias sobre o uso de dinheiro do clube para custear processos pessoais e comprar passagens aéreas.




*A Tarde

Nenhum comentário