Novidades


 

 


PT quer vice de Otto; Jerônimo Rodrigues é preferido de Rui


O senador Jaques Wagner (PT) desistiu de concorrer na chapa majoritária ao Governo da Bahia em 2022. A mudança acontece após um pleito do governador Rui Costa (PT), que pretende renunciar para se lançar ao Senado neste ano. Com isso, o partido foi obrigado a ceder uma das três vagas da majoritária para contemplar o PSD e o PP. Ao que tudo indica, a cabeça de chapa deve ficar com o senador Otto Alencar (PSD).

A partir de agora, o Diretório Estadual passará a debater a nova tática eleitoral. E, ao que parece, a sigla não pretende desistir de buscar novos espaços. De acordo com fontes da Tribuna, parece que está forte a movimentação de Rui para colocar Jerônimo Rodrigues como vice. O atual titular da Secretaria de Educação é muito próximo do gestor.

Nesta semana, Rui se reuniu com aliados mais uma vez para discutir os novos rumos da chapa e o nome de Jerônimo. O político é um dos principais nomes de confiança do governador. Resta saber como a militância vai reagir a essa escolha, caso ela realmente venha ocorrer.

Além da atuação na Educação, onde ele conseguiu desenvolver diálogo com os sindicatos, as motivações para a escolha de Jerônimo seriam o fato dele ter  base do rural, trazendo importante frente de trabalho da Secretaria de Desenvolvimento Rural. Ele, aliás, foi quem criou a pasta, se tornando nome forte do interior.

A escolha de Jerônimo também aumentaria as chances de unificação dentro do PT, que é fragmentado em correntes. "Ele não é ligado a nenhuma corrente e trata todas de forma igual. Por isso, foi coordenador das campanhas de Rui e do programa de governo", avalia uma fonte ligada à sigla.

Vale lembrar que Otto Alencar ainda não deu a confirmação oficial de que deve ser o postulante. O secretário de Relações Institucionais do Governo do Estado, Luiz Caetano, disse que o nome do candidato ao Governo surgirá de um grande consenso do grupo.

"Não acredito que a prioridade seja a escolha de um nome do PT. Pelo contrário, é essencial e indispensável que a decisão seja consensual entre os integrantes da nossa coalizão vitoriosa. Enxergo que, com a retirada da candidatura natural do senador Wagner, por questões pessoais, o nome mais forte é o do também senador Otto Alencar. Esse ponto de vista, por sinal, é o mesmo que tem sido externado pelo ex-presidente Lula", declarou Caetano.




*Tribuna da Bahia

Nenhum comentário