Novidades

 


Tarifas dos ônibus metropolitanos ficarão mais caras a partir desta sexta (10)


A vida de quem transita entre Salvador e Região Metropolitana ficará um pouco mais cara a partir desta sexta-feira (10). As tarifas dos ônibus metropolitanos serão reajustadas em quase 12%. A Agerba (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia), que regulamenta o reajuste, justificou a necessidade do aumento com base na variação do diesel e nos índices nacionais de preços ao consumidor. O valor da nova tarifa será de R$ 4,80 nas linhas do Anel 1, R$ 6,80 no Anel 2 e R$ 9,60 no Anel 3.

Nesta quarta-feira 8, foi publicada no Diário Oficial do Estado a resolução Agerba nº23/2022 que regulamenta o reajuste das tarifas das linhas rodoviárias metropolitanas, semi urbanas e de longa distância do Serviço Público de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado da Bahia (SRI). O reajuste passa a valer amanhã, dia 10 de junho.

Para o transporte rodoviário de longa distância e linhas metropolitanas que partem de terminais rodoviários o aumento será de 11,61%, e de 11,85% para as linhas metropolitanas convencionais e linhas semi urbanas. Serão então três novos valores, divididos nos três anéis que compõem o sistema metropolitano de Transporte. No Anel 1, que atende as cidades de Simões Filho e Lauro de Freitas, o valor da tarifa será R$ 4,80. No Anel 2, que atende Camaçari e Candeias R$ 6,80 e no Anel 3 que atende Dias D'Ávila, Mata de São João, São Sebastião do Passé, Madre de Deus, o valor da tarifa será R$ 9,60.

O aumento das tarifas afetará muita gente que vive entre essas cidades. É comum que estudantes e trabalhadores transitem entre Salvador e Região Metropolitana todos os dias, como é o caso de Marcele Isabel, que mora em Lauro de Freitas e estuda em Salvador. Marcele é estudante de enfermagem em uma universidade particular de Salvador. Ela conta que é bolsista e precisa vir a Salvador 4 vezes por semana para as aulas. Suas faltas ou mau desempenho a faria perder a bolsa. Atualmente Marcele está desempregada e conta que já é difícil arcar com ônibus intermunicipal mais o metrô em Salvador para chegar à faculdade. As caronas que consegue com o pai ou o namorado são sua saída para economizar um pouco frente ao constante aumento no custo de vida. “Atualmente estou desempregada e esse aumento no transporte dificultaria ainda mais a minha ida e vinda da faculdade.” declara.

A Agerba justifica que o último reajuste nas tarifas dos ônibus SRI metropolitanos foi feito em abril de 2021 e nas linhas de longa distância em maio de 2021. Segundo a Agência, o reajuste é concedido com base na correção de uma cesta de índices, a exemplo da variação do diesel, IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) e do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).




*A Tarde

Nenhum comentário