Novidades

 


Prefeitura quer professores na 1ª fase de vacinação para antecipar volta às aulas




Prevista inicialmente apenas para a quarta fase de vacinação contra a covid-19, a imunização dos trabalhadores da educação está sendo priorizada pela Prefeitura de Salvador, com tentativas de que ela ocorra junto com a primeira fase definida pelo Plano Municipal de Vacinação. A decisão final dependerá de quantas doses da vacina serão disponibilizadas pelo governo federal. 

Prevista inicialmente apenas para a quarta fase de vacinação contra a covid-19, a imunização dos trabalhadores da educação está sendo priorizada pela Prefeitura de Salvador, com tentativas de que ela ocorra junto com a primeira fase definida pelo Plano Municipal de Vacinação. A decisão final dependerá de quantas doses da vacina serão disponibilizadas pelo governo federal. 

"Nós estamos fazendo um apelo, por exemplo, para que os profissionais da educação venham logo para a primeira fase, pois isso ajudaria na retomada da educação, que está sofrendo alguns dos piores efeitos colaterais da pandemia. Estamos insistindo nisso, mas óbvio, depende da quantidade de doses que o governo federal irá dispor e da capacidade das prefeituras. Nós já estamos preparados para isso", afirmou Bruno Reis, prefeito da capital baiana. 

Nesta terça-feira (12), o prefeito Bruno Reis apresentou o Plano Municipal de Vacinação de Salvador. Serão quatro fases de vacinação, com 570 mil pessoas em grupos prioritários. Na primeira fase, estão incluídos trabalhadores da saúde, população idosa com 75 anos ou mais, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em Instituições de Longa Permanência (asilos e clínicas psiquiátricas) e indígenas/aldeados/povos e comunidades ribeirinhas. Ao todo, são 168.355.

Na segunda fase, serão vacinados idosos de 60 a 74 anos, que somam 185.556 pessoas. Já quem tem comorbidades crônicas, fez transplantes ou tem obesidade estará na terceira fase do plano de vacinação. São 149.068 indivíduos com algum desses perfis. 

A quarta fase inclui diversas categorias: trabalhadores de educação, pessoas com deficiência severa, membros das forças e salvamento, funcionários do sistema de privação de liberdade, trabalhadores do transporte coletivo, transportadores rodoviários de carga, e população privada de liberdade. Ao todo, nessa fase, são 35.969 pessoas.




*Correio da Bahia

Nenhum comentário